SINMARA – Within the Weaves of Infinity
(Terratur Possession – 2017)

 

Aphotic Womb, primeiro disco do Sinmara, é um dos meus preferidos de 2014. Black metal na dosagem limite entre o raw e o complexidade herdada do black metal feito na França encabeçado por bandas como Deathspell Omega, Blut Aus Nord e um pouco do Aosoth.

Recentemente eles lançaram Within the Weaves of Infinity, um registro com a difícil missão de manter a brutalidade e a beleza gelada dos discos anteriores – no início do ano eles já haviam lançado o single “Ivory Stone”.

Within the Weaves of Infinity abre com a complexa faixa título que entrega já nos minutos iniciais todos os elementos que o Sinmara utiliza para construir seu DNA: riffs dedilhados, criativos, tempos intrincados, compassos tortos, vocais urrados e, podem acreditar, muita melodia. Esse é o ponto que faz dessa uma grande banda. Existe ali uma grande carga de emoção raivosa e sem esperança que ilustra toda simbologia que envolve a música dos caras.

“Ormstunga” é uma música mais ríspida. Mesmo sendo mais direta, nos minutos finais ela se dirige para um final com uma boa carga de melodia. Já “Nine Halls”, que encerra o EP, é a mais curta de todas. Com seus pouco mais de cinco minutos ela já começa com um andamento de bateria acelerado e riffs simples mais simples do que a banda costuma criar, porém muito eficientes e formatados ao que a música pede.

Within the Weaves of Infinity, o EPdeixa um gosto de quero mais para quem já conhece o Sinmara e entrega um black metal eficiente e cheio de qualidades a quem estiver ouvindo a banda pela primeira vez. É sem dúvida, pra mim, um dos grandes lançamentos do ano até o momento.

 

Foto: Hafsteinn Viðar Ársælsson

Sobre o Autor

Jornalista, guitarrista do Huey e apaixonado por música desde sempre.

Posts Relacionados