A idéia principal dessa lista é apresentar bandas relativamente novas que tenham algo que as diferencie, o foco é o rock, o metal e suas vertentes como o doom, death, stoner, prog, heavy, hard 70 entre outras. Outro ponto para escolha são os temas ocultos ou irreverentes que colocam essas bandas como parte do que chamamos Occult Rock. O termo prevê uma sonoridade livre calcada nos primórdios do heavy rock e flerta com várias vertentes, muitas vezes levando o ouvinte a ter grandes surpresas!


THE DEVIL AND THE ALMIGHTY BLUES
Os noruegueses do The Devil And The Almighty Blues chegaram à cena com o lançamento de seu debut álbum intitulado The The Devil And The Almighty Blues. Numa tradução livre, “O Diabo E O Todo Poderoso Blues”, nome que, com certeza, brinca com cantor de blues Robert Johnson, (1911-1938). Existe uma lenda que conta que Johnson conheceu o diabo em uma encruzilhada à meia-noite, onde teria vendido sua alma em troca de se tornar o maior músico de blues de todos os tempos. A banda faz um blues bem cru e sombrio com pitadas de stoner e doom. Algo bastante interessante e diferente.

 

SINISTRO
Banda fundada em 2011 em Lisboa, Portugal, com a incrível vocalista Patrícia Andrade, que consegue dar uma nova cara ao velho e bom doom metal. No seu mais recente álbum Semente (2016), temos uma música muito sombria e melancólica que se arrasta por toda audição cercada de riffs soturnos e muito cativantes. O trabalho anterior da banda, Sinistro (2012), segue a mesma linha. Ótima banda!

 

WHEELFALL
Sem dúvida, essa banda vinda da França, é uma prova viva de que é possível fazer mais do mesmo com muita criatividade, vista a grande quantidade de bandas de stoner doom nos últimos anos. Esses caras apostam, desde 2012 com o lançamento de Interzone, numa música muito balanceada e bem construída. Tendo como foco central inspirar-se na ficção cientifica em todos seus aspectos, tanto literário quanto cinematográfico. Alguns dos nomes que influenciam a banda: H.G Weells. David Cronenberg, John Carpenter entre outros. Se você procura algo diferente, vai se surpreender.


BEASTMAKER

Os americanos do Bestmaker são a definição da palavra old school. Eles apostam num doom metal tradicional na linha Pentragam, Black Sabbath, Witchfinder General, Saint Vitus. Banda estreou com o lançamento de Lusus Naturae.

 

DEAD WITCHES
Banda bastante fresca. Seu disco de estréia, Ouija, foi lançado esse ano. A sonoridade segue a linha do Electric Wizard. Um stoner doom arrastado e maléfico, inclusive a banda conta com o ex-baterista do Electric Wizard,  Mark Greening. O vocal fica a cargo da Virginia Monti, líder da banda Psychedelic Witchcraft, outra grande banda, mas optei por citar seu projeto solo. Se você gosta de ocultismo, terror e metal, com certeza esse é um prato bem cheio.

 

ACID WITCH
A banda iniciou sua carreira em 2007 na cidade de Michigan, mas foi com o lançamento de Witchtanic Hellucinations (2008) que eles mostraram para o mundo uma música cheia de personalidade misturando stoner, doom, death e psicodélico. O tema central da banda é bruxaria e muito terror.

 


THE OATH

Nascida na Alemanha, essa banda deixou um único registro, The Oath (2014), já que a líder e vocalista, Johanna Sadonis, deu início a banda Lucifer. Novamente fiquei na dúvida, mas optei por listar The Oath. Esse álbum é um espetáculo! Temos o melhor do doom e heavy, com pitadas tímidas de stoner. O ponto forte são as melodias incrivelmente cativantes que chegam a tirar lágrimas dos olhos. Se você procura um daqueles álbuns onde todas as músicas cativam verdadeiramente, com certeza você encontrou.

 


HORISONT

Os suecos do Horisont são possuidores de uma sonoridade heavy rock que flerta com o doom, hard 70 e prog rock entre outras influências.  Suas músicas são calcadas em refrãos fortes, característica marcante do heavy metal old school. No geral a banda não inova tanto, mas se mostra extremamente competente, apostando numa temática totalmente vintage, não se rendendo a nada e somente fazendo aquilo que tem vontade.

Sobre o Autor

Nascido em São Paulo -SP, cursou Psicologia e jamais exerceu a profissão. É casado, tem dois filhos, e atualmente dedica-se nas horas vagas a escrever sobre heavy metal e suas variadas vertentes. A paixão pelo estilo teve início em 1998 após escutar a faixa titulo do primeiro disco do Black Sabbath, depois disso tudo mudou, tornando-se apreciador, pesquisador e colecionador. Suas outras paixões são action figures e cinema de terror, de preferência dos 80. Considera-se um nerd metaleiro de carteirinha.

Posts Relacionados