Existe uma lacuna entre o death e o black metal que desde seu surgimento ficou conhecido como death/black metal, claro.

Dentro dessa vertente ainda existem bandas que fazem questão de manter a veia pútrida, ameaçadora e violenta que deu origem a um dos estilos mais amados do submundo da música extrema.

Seguindo essa constatação, resolvemos juntar em uma só lista cinco bandas que veneram e mantém vivo aquele espírito descendente do vazio mais obscuro criado entre a podridão do death metal e as blasfêmeas do black metal.

 

UTTERTOMB – Necrocentrism: The Necrocentrist
Vindos do Chile, o Uttertomb lançou em 2017 um dos fortes concorrentes a melhor disco dentro do death/black metal. É curioso como já na primeira faixa a gente consegue perceber o sotaque latino que bandas como Sarcófago conseguiram registrar com sabedoria na música extrema feita por esse lado dos trópicos. Vale dizer que apesar de ter sido lançado esse ano o EP não é em sua totalidade composto de faixas inéditas. Todas elas foram gravadas em 2012, exceto “The Necrocentrist” que entrou somente nessa nova versão.

 

TEMPLE NIGHTSIDE – The Hecatomb
Tá aí um disco lindo e eu achei que deveria começar essas linhas afirmando isso. Porque é lindo. No sentido real da palavra mesmo que isso esteja sendo empregado a algo tão asqueroso, no melhor dos elogios, claro. Se o que você procura é a representação sensorial de um universo horrendo, cheio de imundice e má vontade, o Temple Nightside é a sua porta de entrada. Eles vêm da Austrália e trafega entre o death e o black metal com propriedade causando até um certo desconforto de tanta veracidade que a banda consegue imprimir usando sua música como veículo. Portanto, prepare-se e boa sorte.

 

PERVERSORAnticosmocrator
Por coincidência, outra banda chilena, mas diferente do seu conterrâneo Uttertomb, o Perversor traz de volta o black/thrash metal alemão com referências claras de bandas clássicas como Sodom, Destruction e o início do Kreator com uma pitada a mais de agressividade. Anticosmocrator é um baita disco e vai te levar de volta ao final da década de 80.

 

WARPVOMIT – Triumph of Evil
Triumph of Evil foi um dos grandes lançamentos de 2016 dentro daquilo que chamam de war metal. Foi um disco esquecido pela imprensa especializada e que traz em seus componentes tudo o que um bom amante do death e black metal gosta: vocal podre, riffs cortantes e bateria em sua máxima potência. Triumph of Evil surpreende pela carnificina sonora que despeja da primeira a última música. Conselho: não é um disco para iniciantes.

 

RITUALIZATIONSacraments to the Sons of the Abyss
Se você gosta da linha do death metal feita por bandas como Angelcorpse, Krisiun e Incantation, essa banda vai fazer sua cabeça. Sacraments to the Sons of the Abyss é um disco de 2017 recheado com o jeitão americano de fazer o bom e velho death metal velocíssimo e muito bem executado. Vai na fé que a banda é boa.